fbpx
Publicado em 22 de setembro de 2019, por Redação com ass. de imprensa

Kurotel – Centro Contemporâneo de Saúde e Bem-Estar, localizado em Gramado, no Rio Grande do Sul, tem como missão estimular as pessoas a se comprometer com um estilo de vida mais saudável, longevo e sustentável. Infelizmente, o dia a dia cansativo das grandes cidades, as demandas estressantes e as frustrações que o ser humano carrega por não conseguir executar tudo o que se propõe faz com que as pessoas estejam mais suscetíveis a momentos de desgaste emocional, o que provoca frustração e angústia.

A equipe transdiciplinar do Kurotel elenca algumas atitudes que precisam ser revistas para se garantir mais qualidade de vida em qualquer fase. Ter mais ou menos vitalidade tem relação direta com os hábitos cotidianos, com a interação dos aspectos físicos e psíquicos, com níveis de estresse diário, com o ambiente em que se vive, com a forma com que as pausas são aproveitadas.

 

Negligência no gerenciamento de estresse e da ansiedade

mindfulness está entre as técnicas de relaxamento auxiliares no processo de gerenciamento do estresse e da ansiedade, no aumento do foco atencional e, consequentemente, no auxílio da entrada e na retenção da informação (memória). Ela também age na condição de saúde clínica e emocional, que são beneficiadas pelo relaxamento profundo proporcionado pela meditação, aumentado a possibilidade de longevidade e bem-estar. “Fornece uma compreensão mais profunda sobre como as nossas emoções e pensamentos influenciam nosso comportamento, nossa saúde e nossa qualidade de vida”, conta o psicólogo Michael Zanchet.

 O tal do sedentarismo

É fato comprovado cientificamente: mexer o corpo aumenta a oxigenação do sangue e dos tecidos e estimula a produção de substâncias que garantem energia, disposição e bem-estar, como dopamina, adrenalina, endorfina e serotonina. Segundo o educador físico Thiago da Silva Guedes, os hábitos que cultivamos ao longo da vida são responsáveis por 70% do que vamos colher em nossa vida positiva ou negativamente. “Um corpo ativo, com percentual de gordura e massa magra ideais para sua faixa etária, preservando as funcionalidades e que seja estimulado ao exercício físico com regularidade é fundamental para uma vida mais longeva e feliz”, ressalta o especialista.

Saúde bucal em segundo plano

Por muito tempo, a boca foi vista de forma dissociada do resto do corpo. No entanto, estudos recentes mostram a relação das doenças da boca com as condições gerais de saúde.  “Entre as constatações está a de que pessoas com doença periodontal (doenças gengivais severas) têm maior risco a enfarto e a AVC. Idosos com maior número de dentes preservados são mais longevos e, claro, tendem a ter maior qualidade de vida refletida através de maior conforto mastigatório e, conseguinte, melhor alimentação, além de melhor autoestima”, destaca Ernani Calvete, dentista membro da equipe médica do Kurotel.

Alta exposição a agrotóxicos e alimentos industrializados 

A exposição aos resíduos ativos de agrotóxicos presentes nos alimentos afeta diretamente a saúde humana por diferentes mecanismos. “Diversas pesquisas científicas evidenciam que a exposição a altos níveis aos agrotóxicos está associada a alterações no sistema reprodutivo, cânceres de mama e de testículo, endometriose, puberdade precoce, infertilidade, obesidade, distúrbios comportamentais, doenças autoimunes e respiratórias”, afirma a nutricionista Michelle Mileto Troitinho.

*Foto Claudio Fonseca


[ VEJA MAIS ]